Culinária Mexicana: conheça as cores e sabores

Culinária Mexicana

A culinária mexicana encontra-se entre as mais difundidas do mundo. Redes de fast-food que oferecem tacos, burritos e guacamole tornaram-se muito populares, mas nem sempre eles representam fielmente a comida típica do México!

A variedade de pratos da gastronomia mexicana é imensa, embora os ingredientes que formam sua base dificilmente mudem: milho, pimentas, feijão, abacate e carnes.

Descubra aqui o que muda na culinária praticada no país, e naquela difundida pelas redes de restaurante mundo afora.

Abaixo vamos ensinar um pouco da história da gastronomia do México e também trazer curiosidades e 5 pratos típicos que a culinária mexicana tem a oferecer.

História da Culinária Mexicana

A introdução alimentar de grandes quantidades de carboidrato é geralmente associada ao aumento populacional ancestral em todo o mundo. No caso do México, a domesticação do milho ocupa esse papel de importância e destaque.

Milho - base da culinária Mexicana

Presente na base da maioria dos pratos mexicanos, o milho foi cultivado pelas grandes civilizações do país desde muito antes da colonização espanhola, que lhe atribuíam templos, o associavam à criação do ser humano e a alguns deuses.

Outras comidas consumidas cotidianamente também remetem há milênios de tradição. Entre essas estão feijão, amaranto, chia, cacau, abacate (do tipo “avocado”), pimentas (chiles) e nopal (uma espécie de cacto).

Carnes de caça como peru, pato e veado já eram consumidas pelos nativos, e a chegada dos espanhóis introduziu as carnes de porco, vaca e ovelha.

Instrumentos de pedra vulcânica como o metate (um moedor) e o molcajete (um pilão) foram fundamentais para o desenvolvimento de pratos de milho nixtamalizado, como as tortilhas, os tacos, os burritos, e outras variantes feitas com essa massa de milho.

A nixtamalização é um processo de cozimento e maceração do milho maduro em uma solução alcalina de cal, de modo a facilitar a moagem, melhorar o sabor, o aroma e o valor nutritivo do grão.

O uso marcante de pimentas na culinária mexicana também remete a uma prática milenar. Sabe-se que desde cerca de 5.000 a.C. os frutos da família “Capsicum” já vinham sendo cultivados.

Quando o território mexicano foi dominado pelos espanhóis, dezenas de variedades já estavam domesticadas e em uso pelos nativos.

A gastronomia do México inegavelmente sofreu fortes influências europeias, como a adoção do uso de laticínios, arroz e açúcar.

Ainda hoje, no entanto, é expressiva a permanência de hábitos originalmente indígenas, como o de se alimentar com as mãos (tendo tortilhas como base de apoio para a refeição) e de consumir diariamente tantos ingredientes nativos!

Características da Culinária Mexicana

É inegável que uma das características mais comumente atribuídas à gastronomia do México é o fator “apimentado”. E, de fato, os molhos com pimentas das mais variadas intensidades estão sempre presentes em seus pratos.

Os “chiles” mais comuns possuem uma aparência próxima a dos pimentões e pertencem à mesma família, mas um sabor suave bastante distinto.

Eles podem ser recheados, empanados, fatiados em pequenos pedaços, mas é quase certo que estarão presentes em todas as refeições.

As tortilhas mais encontradas nas redes de fast food mexicanas estrangeiras, por sua vez, costumam contar com uma massa de farinha de trigo, o que difere em muito da prática no país.

As tortilhas, nachos, tacos e burritos não apenas são feitos exclusivamente de milho, mas com um milho pequeno e esbranquiçado que possui um sabor bastante marcante.

Além do milho branco mais comum, encontra-se por toda parte tortilhas, totopos (pedaços crocantes de tortilha amanhecida frita) e tlacoyos (uma tortilha grossa e ovalada) produzidos com outras variedades de milho, especialmente o de cor azul.

Se os molhos são parte fundamental dos pratos mexicanos, é difícil falar de seus sabores sem ressaltar o estimado “mole”. Ainda que hoje em dia existam muitas versões, este é outro prato cuja origem remonta a tempos pré-hispânicos.

Trata-se de uma “pasta” de especiarias e condimentos espessada com milho nixtamalizado que conta com dezenas (dezenas mesmo!) de ingredientes, e é utilizada na preparação de carnes e molhos.

Há muitas variações tradicionais de mole, e sua preparação por vezes inclui sérios rituais, mas em geral sua formulação contém pimentas, ervas, tomates, amêndoas, caldo de carnes, passas, maçã e cacau ou chocolate.

Os mercados a granel também possuem uma presença marcante mesmo nas maiores cidades do México. Além disso, é forte por todo lado o hábito de comer nas ruas – literalmente, nas calçadas!

Diferentemente do Brasil, a refeição mais pesada do dia mexicano é a primeira. Já nas primeiras horas da manhã é possível sentir o aroma de carnes e molhos, e ainda mais do feijão preto, sempre acompanhados das tortilhas de milho.

As águas saborizadas também são muito difundidas, especialmente a de Jamaica (hibisco) e horchata (arroz, canela e baunilha).

Curiosidades sobre a culinária mexicana

Os amantes do chocolate devem saber que o México foi fundamental para sua criação! Os nativos do país produziam uma bebida sagrada a partir do cacau, que sofreu o acréscimo de açúcar pelos espanhóis na tentativa de conservá-la a caminho da Europa.

A referência de alguns sabores para os mexicanos parece bem diferente. Enquanto o abacate faz parte cotidiana dos pratos salgados, como a pasta guacamole, o sabor apimentado é tão presente que pode ser encontrado em doces e até mesmo bebidas.

Um exemplo disso são as micheladas: cervejas com suco de limão e molho. A borda do copo geralmente é adornada com um pó de limão e pimenta (tajín).

Também nos “shots” de tequila é comum encontrar o sal juntamente com pimentas.

Além das pimentas, o sal também pode ser combinado com “gusano de maguey” triturado.

Trata-se de uma larva encontrada nas plantas do agave azul – a suculenta utilizada na produção da tequila e do mezcal (a tequila original e artesanal). Esta larva também pode ser preparada inteira como aperitivo.

É muito comum também na culinária mexicana os chapulines (grilos), encontrados por toda parte e consumidos como amendoins: salgados e fritinhos.

Pratos Típicos da Culinária Mexicana

1.    Tamales

Tamales- prato culinária mexicana

Tamal é um prato tradicional mesoamericano, cujas primeiras referências são encontradas em códices (registros escritos) pré-hispânicos!

Sua elaboração conta com uma macia massa de milho que se assemelha bastante à brasileira “pamonha”, e deve ser fervida nas folhas do próprio milho.

Podem ser encontrados com recheio de carnes, queijos, mole, legumes, pimentas e até mesmo em versões doce, em geral com ingredientes sazonais.

2.    Tacos al Pastor

Tacos - culinária mexicana

Os tacos podem ser feitos com muitos recheios, mas uma das variedades mais estimadas possui influência libanesa.

Trata-se de massas finas e redondas de milho que são dobradas ao meio para “abraçar” o recheio de carne de porco. “Al pastor” faz referência às fatias de carne postas sobre camadas e assadas em um espeto vertical ao ar livre.

Devido à sua influência libanesa (do “shawarma” de cordeiro), seu sabor apresenta uma mistura de especiarias do Oriente Médio e do México central.

3.    Chile en nogada

Chile en nogada - culinária mexicana

Este saboroso prato mexicano está muito associado ao Dia da Independência, e tem como elemento principal a pimenta poblano (pimentão verde).

Originária do estado de Puebla, esta pimenta possui um sabor suave e aparece recheada com uma mistura de carne desfiada, ervas aromáticas, frutas e especiarias.

O termo “En nogada” faz referência ao creme branco à base de nozes que cobre o prato, finalizado com sementes de romã.

4.    Pozole

Panzole - culinária mexicana

Mais uma vez, este prato remete à história do México anterior aos espanhóis.

Muito valorizado pelos mexicanos, o pozole é uma sopa ou guisado feito do milho nixtamalizado da variedade cacahuacintle (um tipo antigo e branco com grandes grãos arredondados e macios), carne de porco ou galinha e vegetais.


5.    Pão doce

Pão Doce - comum na culinária mexicana

Os pães doces mexicanos estão sempre presentes e são muito associados às datas comemorativas.

No dia dos mortos, o “pão de morto” arredondado é adornado com ossos ou caveiras na massa, enquanto a “rosca de reyes” (para o dia dos reis magos) é oval e enfeitada com açúcar e frutas cristalizadas.

Bom finalizamos por aqui, espero que tenha curtido essas curiosidades sobre a culinária mexicana!

Você também pode gostar de conhecer nossas outras matérias sobre a gastronomia de outros países, clique aqui e veja mais.

Um Abraço e volte sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *